quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Bento Gonçalves RS - Capital Nacional do Vinho


Mais uma publicação, espero que gostem...

Bento Gonçalves é um ótimo destino para férias...




Pipa Pórtico




Bento Gonçalves é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Localizado no Nordeste Rio-grandense, mais precisamente na Serra Gaúcha, possui uma população de 107.341 habitantes (IBGE/2010), sendo considerada uma cidade média. É conhecida por ser ao mesmo tempo um pólo vitivinícola, moveleiro e turístico, tendo atuação de destaque nacional e internacional nesses setores, constituindo uma das maiores economias do Rio Grande do Sul.







Caminhos de Pedra


O local onde foi erguido o município era habitado por índios caigangues há tempo desconhecido, e foi povoado por imigrantes provindos da Itália por volta do ano de 1875, resultado dos esforços do governo imperial a fim de desenvolver a região. Assim, desde as primeiras levas de imigrações, milhares de imigrantes, não só da Itália, mas também alemães, polacos e espanhóis, desembarcaram no Brasil e ocuparam as terras até então desconhecidas onde hoje se encontra a cidade.





Venha ver o por do sol...


O nome do município remete ao General Bento Gonçalves da Silva, militar e revolucionário brasileiro, um dos líderes da Revolução Farroupilha, que buscava a independência da província do Rio Grande do Sul do Império do Brasil. Antes, ainda como colônia da cidade de Montenegro, já havia tido os nomes de Cruzinha e Colônia Dona Isabel.

A cidade abrange grande parte da área do Vale dos Vinhedos, região que abriga algumas das melhores vinícolas do país. Além disso, é sede de eventos importantes no cenário nacional como Fenavinho, ExpoBento, Fiema Brasil e Movelsul, todas realizadas no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, o segundo maior do tipo em todo o Brasil.






Desenvolvimento Equilibrado

História

Antes de 1870, a área conhecida como Cruzinha, era habitada por índios. Em 1875, com a chegada dos primeiros 730 imigrantes italianos, dentre os quais agricultores, ferreiros, sapateiros, marceneiros, alfaiates, carpinteiros, foi estabelecida a colônia de Dona Isabel, em homenagem à princesa brasileira Isabel de Bragança. Em 1890, a colônia desmembrada do município de Montenegro com o nome de Bento Gonçalves em homenagem ao herói farroupilha, Bento Gonçalves.

Os colonos encontraram nesta região um clima favorável, semelhante ao europeu, para estabelecer a cultura da videira, que ainda é a predominante na região, no chamado Vale dos Vinhedos.

No início do século XX a rede ferroviária chegou à região, facilitando o escoamento da produção de vinho, proporcionando uma base econômica sólida para o município.

Entre os anos de 1919 a 1927 ocorreram a instalação de luz elétrica, da estação transformadora e da rede de distribuição. É também inaugurado o Hospital Bartolomeu Tacchini.

Em 1950, a população era de 22.600 habitantes. As principais atividades econômicas eram as do setor agrícola. Contudo, começaram a surgir várias indústrias, como acordeões, laticínios, móveis, curtume, fábrica de sulfato e vinícolas.

A cidade recebe milhares de visitantes todos os anos em virtude da quantidade de opções para o turismo, mas também por causa do seu potencial econômico, decorrente da qualidade de seus vinhos e do grande número de indústrias moveleiras sediadas na cidade, que correspondem a 40% da produção estadual do setor e a 8% da produção nacional. A qualidade de vida do município é uma das mais elevadas do país, mesmo com a crescente taxa de urbanização notável nos últimos anos, que contribui para a ocorrência de problemas como o deflorestamento e a instabilidade social.






Vinicola Salton

Clima

O clima da cidade é classificado como subtropical de altitude, e suas temperaturas absolutas variam entre -4°C e 36°C, com uma precipitação pluviométrica média anual de 1.500mm. A média de temperatura é de 19ºC, com invernos frios, e verões com temperaturas elevadas. Os meses mais quentes, janeiro e fevereiro, têm temperatura máxima média de 26 °C e mínima média de 17ºC, enquanto os meses mais frios, junho e julho, têm máxima média de 17°C e mínima média de 8ºC. Outono e primavera são consideradas estações de transição. O município tem maio como o mês mais seco, quando ocorrem 109mm de precipitação, e março como o mais chuvoso, quando a média fica em 206mm.






Ponte Rio das Antas

Demografia
Crescimento populacional de
Bento Gonçalves
Ano População
1877 2 431
1950 22 600
1970 41 979
1980 58 936
1991 78 643
1996 82 782
2000 91 486
2010 107 341


Segundo o Censo do IBGE realizado em 2010, Bento Gonçalves possui uma população de 107.341 habitantes, sendo o 18º maior município do estado. Ainda segundo o IBGE a população é composta por 52.713 homens e 54.628 mulheres. A população urbana ocupa 92,4% e a rural 7,6%. A densidade demográfica é de 280,82 habitantes por km². O Índice de Desenvolvimento Humano é de 0,870, sendo o maior do Rio Grande do Sul e o 6º maior do Brasil.
A expectativa média de vida é de 77,4 anos, uma das mais altas do estado. A mortalidade infantil é de 12,46 por mil nascidos vivos. A taxa de analfabetismo é de cerca de 3,89%. A população bento-gonçalvense é formada em sua maioria por descendentes de italianos, com participação reduzida de pessoas com descendência alemã, portuguesa e polonesa.

Em 2000, a composição étnica da população era 91,20% de brancos, 5,71% de pardos, 2,74% de negros, 0,1% de indígenas e 0,01% de amarelos, além de 0,21% de etnia não declarada. No que diz respeito à faixa etária, 23,28% da população tinha menos de 15 anos, 70,45% tinha entre 15 e 64 anos, e 6,26% tinha mais de 65 anos.
Em relação à religião, 91,28% das pessoas se diziam pertencentes à Igreja Católica Apostólica Romana, 5,82% se declararam evangélicos, 0,6% Testemunhas de Jeová, 0,32% espírita, com o restante dividido entre outros credos. Além disso, 1,28% da população se declarava sem religião.





Vinicolas, vinicolas e mais vinicolas...

Economia

Bento Gonçalves figura entre as dez maiores economias do Rio Grande do Sul. Os principais setores que movem o município são o moveleiro e o vitivinícola, mas também há força nos setores alimentício e metalúrgico. O município é sede de 10 das 500 maiores empresas do Sul do Brasil. Em 2008, o PIB municipal era de 2,4 bilhões de reais, enquanto o PIB per capita era de 22,7 mil reais. No ano de 2010, em relação às finanças públicas, as receitas orçamentárias contabilizavam 167.820.074,00 reais, e as despesas chegaram a 125.578.239,00 reais, com um superávit de 42.241.835,00 reais. Os serviços correspondem a 59,28% do Valor Adicionado Bruto, enquanto indústria e agropecuária contribuem com 38,29% e 2,42%, respectivamente.

O município possui 9.313 empresas registradas (39% Serviços, 31% Comércio, 13% Autônomos, 12% Indústria, 4% Profissionais Liberais). O maior setor do município em quantidade de empresas é o de serviços, composto pelos profissionais autônomos, liberais e prestadores de serviços, que representa 56% da economia local. Atualmente, a cidade emprega 44.481 pessoas com carteira assinada, o que representa 2,03% do total de empregos formais do Estado que é de 2.193.790.                                                                                                                                                                                          Setor vitivinícola

Conhecida como "capital brasileira do vinho", Bento Gonçalves se configura como a maior produtora de uva do Rio Grande do Sul, e o maior produtor de vinhos e derivados de uva do Brasil. O plantio da videira no município remete à chegada dos imigrantes italianos na região, o que mostra que a atividade não tem apenas caráter econômico, mas também cultural. Várias das empresas de destaque no cenário nacional têm sua sede dentro da cidade ou no interior, como Vinícola Aurora, Vinhos Salton, Miolo Wine Group e Casa Valduga. Além de grandes empresas, também há diversidade de pequenas vinícolas familiares, que contribuem para a diversidade e qualidade dos produtos elaborados. Hoje existem 79 vinícolas instaladas no município. O setor representa 12,39% de participação no mercado brasileiro. Do total de vinhos comercializado em 2009, 70,2% era de vinhos de mesa e 29,8% vinhos finos. Anualmente são produzidas mais de 127 mil toneladas de uva e o equivalente a 91 milhões de litros de vinho. Bento Gonçalves é também a primeira região do Brasil a obter a Indicação de Procedência pelo Vale dos Vinhedos, que qualifica a origem do produto em nível mundial.                                                                                                                  Setor moveleiro

A produção de móveis é o setor com maior representatividade na economia local. Bento Gonçalves representa 40% da produção estadual e 8% da produção nacional de móveis. Hoje existem no município 335 indústrias moveleiras registradas, que geram mais de 10 mil empregos diretos e indiretos. Entre as empresas de maior destaque, estão a UNICASA (detentora das marcas Dell Anno; Favorita e New), seguida de S.C.A., Todeschini e Bentec.





Caminhos de Pedra

Bento-gonçalvenses                                     ilustres/famosos
Ernesto Geisel - Presidente da República
Orlando Geisel - Ministro do Exército, General-de-Exército
Marcus Vinícius Freire - jogador de vôlei, medalhista olímpico
Carlos Miguel - jogador de futebol
Arílson - jogador de futebol
Ernesto José de Marco - deputado federal
Luiz Colussi - bispo
Nelson Piletti - historiador
Emílio Fiorentino Batistella - empresário









Bento Gonçalves foi habitada inicialmente por indígenas e até 1870 chamava-se Cruzinha, por ser o local onde morreu e foi enterrado um traçador de estradas ou tropeiro. Por ato do Presidente da Província de São Pedro, com objetivo de ampliar a Área de colonização, foram criadas as Colônias Dona Isabel e Conde D'Eu -hoje Bento Gonçalves e Garibaldi respectivamente.

Localizada na região dos vinhedos, tem como atração principal o Parque da Fenavinho, onde acontecem feiras, exposições e eventos esportivos culturais e esportivos. Seus atrativos naturais São vários.

O binômio móvel-vinho, é responsável pela base econômica do município, destacando-se ainda com forte presença, outras atividades como: setor metalúrgico, alimentício, têxtil, artefatos de couro e borrachas, artes gráficas e o setor plástico que apresenta as melhores perspectivas de crescimento dentro do atual contexto econômico.Quanto ao comérci, Bento Gonçalves apresenta qualidade e variedade de produtos, propiciando assim, boas compras.






Igreja Bairro Planalto, em forma de Pipa


O município tem cercade cem mil habitantes, oferece toda a infra-estrutura necessária para que os visitantes possam desfrutar da gastronomia, do lazer, dos costumes e das tradições deste hospitaleiro povo bentogonçalvense. Hoje Bento Gonçalves pelo referencial turístico que possui, desenvolve a atividade qu ganha expresSão econômica a cada ano, especialmente no turismo rural e de negócios.
Histórico mais detalhado

Em 1875, inicia a imigração italiana na Encosta Superior do Nordeste, originando as Coloniasde Dona Isabel, Conde D' Eu e Nova Palmira (hoje Caxias do Sul).

A Colônia Dona Isabel, hoje Bento Gonçalves, criada em 1870, já era conhecida por Região da Cruzinha, devido a uma cruz rústica, cravada sobre a sepultura de um possível tropeiro ou traçador de lotes coloniais. Era época do escambo, da troca de mercadoria por mercadoria. A Colônia Dona Isabel sediava um pequeno Comércio no qual os tropeiros faziam paradas para descanso.






Interior, muito interessante...


Em 24 de dezembro de 1875, os núcleos do Planalto começaram a receber novos imigrantes, e em março de 1876, o Presidente do Estado, José Antonio de Azevedo Castro, anunciava a existencia de 348 lotes medidos e demarcados, e uma População de 790 pessoas, sendo 729 italianos. Ainda em 24 de dezembro de 1875, outros pioneiros oriundos do Tirol Austríaco e Vêneto chegaram a esplanada, onde hoje está situada a Igreja Matriz Cristo Rei.

A troca, compra e venda de produtos era feita na sede da colônia, após longas caminhadas por estreitas picadas, demarcadas pelos próprios imigrantes. Entre os imigrantes haviam ferreiros, sapateiros, marceneiros, alfaiates, carpinteiros, entre outros profissionais que estabeleceram seus negócios dentro de suas especialidades, atendendo as necessidades locais. O surgimento das construções das casas, os instrumentos de trabalho e o mercado, foi acompanhando o desenvolvimento de Colônia Dona Isabel e também as exigencias que se apresentavam. Frente o desenvolvimento, as condições das estradas foram melhorando e surgiram as primeiras carretas. Em cinco anos, houve um acréscimo de quatro mil habitantes, entre nascimentos e novos imigrantes. Em 1881, inicia a abertura da primeira estrada de rodagem ligando a Colônia Dona Isabel a São Jorge de Montenegro.






Casas no Bairro São joão


O início do povoamento foi marcado por inumeras dificuldades. Em 1877, Colônia Dona Isabel sediava três casas comerciais, duas padarias, uma fábrica de chapéus e um total de 40 casas comerciais em todo o território da colônia.

O desmembramento da Colônia Dona Isabel do município de Montenegro, foi pelo Ato 474, de 11 de outubro de 1890, assinado por Cândido Costa, para constituir o município de Bento Gonçalves . O nome foi dado em homenagem ao general Bento Gonçalves da Silva, chefe da Revolução Farroupilha, ocorrida no Rio Grande do Sul em 1835 Bento Gonçalves deu seu primeiro impulso de progresso com a vinda da agência do Banco Nacional do Comércio.

Entre os anos de 1919 a 1927 ocorreram a instalação da luz elétrica, da estação transformadora e da rede de distribuição. É também inaugurado o Hospital Bartholomeu Tacchini.






Bairro Planlto, simbolo de riquesa


Em 1950, a População era de 22.600 habitantes. As principais atividades econômicas eram as do setor agrícola. Contudo, começaram a surgir várias indústrias, como acordeões, latícinios, móveis, curtume, fábrica de sulfato e vinícolas.

Em 1967, Bento Gonçalves passa por uma grande transformação, por marco histórico. Com a colaboração de fortes lideranças e a ajuda de toda a comunidade, surge a I FENAVINHO. O município foi visitado pela primeira vez por um Presidente da República e o seu principal produto, a força de sua economia é divulgada em todo o Brasil, tornando a cidade conhecida nacional e internacionalmente. O município descobre a sua vocação para o turismo de negócios e começa a sediar eventos de grande porte. Seu parque de exposições, atualmente, é o segundo da América Latina. Bento Gonçalves é sede de eventos como MOVELSUL, FIMMA, Vino Brasil, Avaliação Nacional de Vinhos, FENAVINHO e Expobento.






Prefeitura Municipal


Caminhos de pedra

O roteiro dos Caminhos de Pedra oferece uma viagem ao tempo da colonização Italiana no Brasil. Em vários pontos do passeio o viajante entrará em contato com a arquitetura em casas muito bem conservadas deste período. De todo o roteiro merecem destaque:

Casa Merlo
Construída em 1889, com pedras irregulares pretas, unidas com uma mistura de feno, palha de trigo e estrume de vaca. Conta com o chamado "granaro", que servia de isolante térmico no inverno. Visitação externa.

Casa Zandoná - (casa rosa rebocada)
Por volta de 1960, com a urbanização, os agricultores começam a ter vergonha das casas de pedra e passam a revesti-las de argamassa.

Casa da família Bartarello
construída por volta de 1877, foi restaurada em 94. Hoje abriga restaurante colonial italiano.

Capitel
oratório construído em 1947 em honra a Nossa Senhora do Carmo. Tradição rural Vêneta (Itália).

Cantina Strapazzon
construída por volta de 1880, serviu de cenário para o filme "O Quatrilho".

Árvore "Maria mola" ou "Umbu"- tornou-se símbolo da primeira residência dos imigrantes que provisoriamente se abrigavam debaixo de grandes árvores, às vezes até fazendo escavações sob as raízes.

Destilaria de Whisky
Baseada na arquitetura do castelo de Conegliano, da região do Vêneto, construído em 1963, abriga a Destilaria de Malt Whisky, pioneira na América Latina na produção de malte. Exporta para Europa e América Latina. Visitação externa.






Mais uma do interior...


Vale dos Vinhedos
....Fica entre os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. No vale estão 22 vinícolas, nas quais o visitante pode acompanhar a elaboração do vinho e em algumas, degustá-lo.
.....No centro da cidade, está a vinícola Aurora que foi a pioneira em trabalhar o turismo. A Aurora tem 72 anos e é a maior produtora de vinhos do país. Começou com 16 famílias associadas (cultivando a uva e participando do processo de elaboração do vinho) e hoje conta com 1300 famílias associadas. Hoje exporta seus produtos para o Japão, Finlândia, Uruguai, Argentina, Paraguai, Alemanha e França; já exportou de EUA a Arábia Saudita!

.






Mais uma pequena casa do Planalto


O Vale dos Vinhedos





Bairro Planalto


A Formação

A religiosidade sempre esteve fortemente presente entre os imigrantes italianos. Em cada comunidade que formavam a primeira construção era uma capela ou igreja. No Vale dos Vinhedos não foi diferente. Em 1880, ergueu-se a primeira capela do Vale. Construída em pedra bruta e coberta por pequenos pedaços de tábua, foi mantida assim até 1928, quando foi substituída pela construção atual denominada Capela das Almas.

Já no início do século XX foi construída a Capela Nossa Senhora das Neves. Conta a história que sua construção aconteceu num período de intensa seca que durou cerca de dois anos. Segundo a história, os moradores decidiram utilizar o vinho estocado das safras anteriores na preparação da argamassa para a construção da Capela. Assim, no decorrer do tempo, outras capelas surgiram, iniciando um processo de colonização do vilarejo. O roteiro do Vale dos Vinhedos preserva até hoje inúmeros capitéis que traduzem a religiosidade do povo que colonizou a região.

Gerações passaram desde a chegada dos primeiros imigrantes e muitas das famílias que ali se instalaram continuam perpetuando o trabalho e a cultura vitivinícola implantada, buscando sempre a qualidade e o aprimoramento do produto elaborado.

A região é atualmente dividida por comunidades, que trazem denominações das capelas construídas pelos primeiros colonizadores.






Avenida Principal, em frente a Pompéia e Lojas Marisa


Força Turística

O turismo é um grande meio de divulgação da cultura, do trabalho e da história de um povo. O Vale dos Vinhedos oferece um variado roteiro turístico, que vai desde passeios pelas vinícolas, degustação de vinhos até jantares típicos com animação de corais, servido em meio ao ambiente pitoresco e aconchegante das cantinas. Tudo isso é oferecido pelas próprias famílias que vêm resgatando e mantendo a hospitalidade e os costumes de seus antepassados, preservando desta forma a cultura dos imigrantes italianos.

Visitar o Vale dos Vinhedos é penetrar no coração da história italiana e vivenciar, através dos monumentos e do ambiente sugestivo, um passado relativamente jovem.

Depois da criação da Aprovale, em 1995, o turismo no Vale dos Vinhedos cresceu vertiginosamente. Para o ano de 2006, estima-se que mais de 150 mil pessoas visitem o Vale. A cada ano, novos investimentos são feitos para melhorar e ampliar a estrutura de atendimento ao visitante. Hoje, a região oferece, além de mais de duas dezenas de vinícolas, hotéis, pousadas e restaurantes.









Criação da APROVALE




O legado histórico e cultural deixado pelos imigrantes italianos está enraizado nas pessoas, seus costumes e, até mesmo, na paisagem do Vale dos Vinhedos. A construção de capelas, a devoção aos santos, o dialeto vêneto e, principalmente, o cultivo da videira e a produção do vinho são marcas da imigração. Sendo o vinho um elemento tradicional de sua cultura, os italianos trouxeram as mudas de videiras quando para cá vieram.

Até, aproximadamente, a década de 80 do século XX, os produtores de uvas do Vale dos Vinhedos vendiam sua produção para grandes vinícolas da região. A pouca quantidade de vinho que produziam destinava-se ao consumo familiar. Esta realidade mudou quando a comercialização de vinho entrou em queda e, conseqüentemente, o preço da uva desvalorizou. Os viticultores passaram então a utilizar sua produção para fazer seu vinho e comercializá-lo diretamente, tendo assim possibilidade de aumento nos lucros.

A evolução tecnológica das últimas décadas aplicada ao processo vitivinícola possibilitou a conquista de mercados mais exigentes e o reconhecimento dos vinhos do Vale dos Vinhedos. Assim, a evolução da vitivinicultura da região passou a ser a mais importante meta dos produtores do Vale. Para alcançar este objetivo e atender às exigências legais da Indicação Geográfica, seis vinícolas se associaram, criando, em 1995, a Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale).






Interior Igreja Bairro Planalto


Com o tempo, as funções da associação ampliaram-se e, conseqüentemente, expandiram os objetivos, que passaram a incluir:
ao desenvolvimento e incentivo à pesquisa vitivinícola, assim como a qualificação do produto vinícola e seus derivados;
o desenvolvimento de ações que promovam a organização e preservação do espaço físico do Vale dos Vinhedos, promovendo estudos e agindo junto às autoridades competentes para a elaboração de Leis adequadas ao atendimento deste objetivo;
o estímulo e a promoção do potencial turístico da região, bem como o aprimoramento sócio cultural dos associados, seus familiares e da comunidade;
a preservação e proteção à indicação geográfica dos vinhos da região Vale dos Vinhedos.

Atualmente, a Aprovale conta com 31 vinícolas associadas e 39 associados não produtores de vinho, entre hotéis, pousadas, restaurantes, artesanatos, queijarias e outros. As vinícolas do Vale dos Vinhedos produziram, em 2009, 6,2 milhões de litros de vinhos finos equivalentes a 8,3 milhões de garrafas.






Igreja no centro da cidade



Bairro Planalto



Igreja Bairro Planalto



Caminhos de Pedra



Centro



Vinicola



Interior



Bairro Planalto



Calçadão - Centro



Avenida Principal, em frente ao Shopping Bento



Casa da Ovelha



Em frente, Lojas Marisa e prédio do BB



Igreja



Banco do Brasil - Sede de Bento Gonçalves











Maria Fumaça - Vale a pena usufruir deste Paraiso...















Interior, vale do Rio das Antas



Vale do Rio das Antas



Ponte sobre o Rio das Antas



Pipa Pórtico



Igreja Cidade Alta



Um, dos diversos hotéis de Bento



Parque de Exposições - Aqui tem a maior feira de vinho da America Latina



Mais uma do Parque



Centro, Avenida



Avenida, em frente igreja e shopping Bento























Visual do centro visto da Cidade Alta






 
 Cidade Alta vista do Centro



Pipa Pórtico a noite



Vinho, uva e tradição



Unica (Dellano e favorita)



Universidade



Prefeitura



Loja Orangotango






Pipa Pórtico em dia de neve



Subindo pra cidade alta



Cidade Alta



























Shopping Lamerica... mais 1 que existe em Bento



Que vista...







Fluxo de Veiculos impressionavel







Neblina na serra







Calçadão



















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário